Químicos pelo mundo – Ana Catarina Ramalho (Itália)

Nome: Ana Catarina Ramalho

Curso: Mestrado em Biotecnologia

Ano: 1º ano

Local de ERASMUS: Pavia, Itália

Universidade: Universitá degli Studi di Pavia (Dipartamento di Biologia e Biotecnologie) 

  Qual foi a primeira foto que tiraste em ERASMUS?

A primeira foto foi no dia em que chegámos, na estação central de milão, antes de apanharmos o comboio até Pavia. Acordámos muito cedo para apanhar o avião, daí as caras de sono!

 

– Em que é que pensaste quando estavas no avião?

Lembro-me de estar entusiasmada, apesar de algum nervosismo. Pensei se ia conseguir chegar até à minha residência em Pavia sem problemas (porque depois do avião ainda tinha de apanhar um autocarro e um comboio) e se não me tinha esquecido de nada importante. E claro que pensei também se iria lidar bem com o facto de estar tão longe de tudo aquilo que era o meu dia-a-dia.

 

 – Porque escolheste esse país? E essa cidade?

Considerei as várias universidades, o seu prestígio e as cadeiras que poderia fazer em cada uma delas, e acabei por concluir que a universidade de Pavia era a melhor para mim. Portanto, não foi muito pela cidade ou pelo país, mas agora fico muito feliz por ter escolhido Pavia, porque adorei a cidade, e há sítios lindos no norte de Itália que tive oportunidade de visitar (e ainda tenho uma lista de sítios e cidades nesta zona de Itália que ficaram por ver). Quanto à universidade, continuo a achar que fiz uma boa escolha. Tive a sorte de ter aulas com alguns dos melhores professores do departamento, e de estar algumas horas por semana no laboratório de um grupo de investigação desta universidade.

– Do que sentiste mais falta na tua nova universidade em comparação com o nosso DQ?

No DQ, ou por toda a UA, havia sempre caras conhecidas, e tinha sempre aulas com os meus amigos. Em Pavia acabei por escolher cadeiras de turmas diferentes, e só numa delas é que havia pessoas de Erasmus. Por isso a maior parte das vezes tinha aulas em italiano, só com italianos, e então acabei por não me sentir muito integrada em nenhuma das turmas. Portanto aquilo de que tive mais saudades foram as pessoas.

– Provaste algum prato típico da cidade onde estiveste?

Acho que não há nada característico de Pavia exatamente, mas provei muitas coisas típicas de Itália, claro! Já tenho saudades de uma boa pizza italiana ou de um gelado!

 – Do que é que tiveste mais saudades de Aveiro?

Tive saudades das pessoas com quem costumava estar todos os dias e da cidade no geral, mas também de ir a casa quase todos os fins de semana. Em Pavia quando me metia num comboio ao fim de semana era para ir passear, o que também não posso dizer que fosse mau!

– Uma mensagem a quem não tem coragem de ir de ERASMUS:

Se têm vontade de ir de ERASMUS, não podem deixar de ir por medo ou falta de coragem. É um desafio ir para longe da nossa casa durante 5 meses, sozinho ou com 1 pessoa que está na mesma situação que nós. Eu lembro-me que quando saíram as colocações de Erasmus (quase há 1 ano), fiquei muito feliz por ver que outra pessoa também estava a pensar ir para Pavia (e felizmente foi mesmo!). Ir totalmente sozinha para o desconhecido era um bocado assustador na altura, e ver que ia ter alguém conhecido nesta aventura ajudou-me a ter mais coragem para ir. Agora acho que mesmo que tivesse de ir completamente sozinha, devia ir na mesma, porque foi uma experiência muito boa para mim. Conheci pessoas de imensos países diferentes, algumas com um background tão diferente do meu! Para além disso, também foi muito bom estar numa universidade num país diferente, poder ver as diferenças que existem tanto no ensino como na investigação. Mas acima de tudo, foi uma experiência fantástica para mim porque cresci imenso ao estar “sozinha” num sítio distante, onde não tinha as pessoas do costume com quem contar, e tive de me desenrascar. Ah, e se aproveitarem como eu, ainda têm a oportunidade de conhecer sítios lindos! Portanto, se têm vontade de deixar Aveiro durante 1 semestre para partir numa aventura, vão!

 

– Algumas fotos:

Pavia

Milão

Florença

Turim

Ana Catarina Ramalho